terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Este é Miguel, assim mesmo, fraco, pálido, magro e com poucos dentes. Por mais que os tufos de cabelos brancos cismem e sair de suas têmporas, Miguel não passa dos trinta, é mal de família, o tempo é sempre mais cruel com sua linhagem. Conheceu a vida cedo, sem precisar de apresentações já foi tomando o volante. Enquanto deveria estar na escola, passou a maior parte do tempo vendendo doces na cidade grande, sua mãe dizia que este era o negócio do futuro. Futuro, essa foi uma coisa que Miguel nunca viu. Apesar de ter uma vida difícil, a mãe do rapaz sempre dizia que um futuro melhor estaria à espera, de braços abertos, com confortos e luxos que só se via em jornais, como a velha se enganara... Miguel esperou esse tal de futuro a vida toda, mas sua condição foi apenas piorando, ele precisava mesmo conhecer o futuro, não desses de filmes nem novelas, o futuro de sua mãe. Coitada, a mãe de Miguel morreu cedo, vítima de uma tuberculose, por pouco o menino também não morrera, mas por muito menos ainda ele vivera. O pai que nunca conheceu surgiu do nada, trazendo uma luz de futuro com o seu sorriso dourado muito bem combinado com uma camisa de seda colorida e a calça slack, como Miguel sempre sonhou: uma pessoa de verdade. Mas a verdade é que Miguel ficou escravo do próprio pai, que o fazia trabalhar por biscoitos salgados e água , acabou voltando para as ruas. Nunca casou, via que para casar precisaria de uma casa, mas ele nem sabia o que era isso e mesmo assim, para suprir suas necessidades de macho, embuchou uma menina e quis a morte da criança, “não é culpa dela” gritava a menina que a passos rápidos adentrou na escuridão, Miguel sabia: aquele não era o caminho para o futuro. Hoje ele ainda vende doce esperando que tudo melhore e que a vida tome a doçura dos caramelos. Espera que a chuva lave sua vida e mostre o verdadeiro caminho para o futuro prometido por sua mãe, é uma pena... De tanto procurar ele se perderá e nessas andanças já não saberá mais o que é viver e o que é sonhar.

2 comentários:

Rafael Costa disse...

gostei das ultimas frases!

Ricardo disse...

Gostei de tudo!!! Pôhhh