terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Quantas colheres?

Não me permita viver
essa ausência crua
Fique aqui, meu bem,
faça da minha casa a tua.

Pra te ver ficar,
Te costuraria no sofá
Só pra te ter em cafuné
faria um café com chocolá
tranquilo
Só pra te ver adoçar
e girar. e girar. e girar.

e enquanto a colher dança
eu desenho teu rosto
eu canto teu gosto
eu simplesmente te vejo
és o doce dos dias
algo que faz em sorriso
me desmancha em desejo

Quando chamo
é mais leve,
sei que não amo,
mas é vida.
A vida é pluma
é assim por e para ti
Por favor, não suma.

2 comentários:

Geni disse...

Ah, Jesus Cristo! que coisa mais linda, Gu! Fiquei até boba, hehe. Parabéns, muito lindo.

Priscilla Mello disse...

Uma colher de compaixão no meu café com chocolá, por favor!