terça-feira, 1 de janeiro de 2008

A cor que quero sempre ver.

É, então ele finalmente chegou, decidiu dar as caras e digamos que tenha começado muito bem. O primeiro lilás me fez acreditar que, mesmo estando eu temeroso esse ano promete muita coisa boa e também aquelas que exigirão de mim força descomunal, principalmente um grande desafio de final de ano, mas quer saber, agora que ele começou não quero pensar em nada, quero apenas me desligar e ser feliz. Esquecer que tudo começa e termina viver o agora, este minuto, este segundo.
Hoje, quando meus olhos ainda não tinham descansado, caminhei sozinho por alguns minutos e olhei a mistura de cores que estava no céu, assim como o mix de sentimentos que se aloja em minha mente percebi então que noite passada foi a noite em que o muito terminou começou mais um vez, e lembra daquela página virada? Já comecei a escrever a nova, linda, branca da cor das flores e da espuma das sete ondas, essa página promete ser a melhor de todas as páginas, porque começa com o mais sublime dos sentimentos o amor. Família e amigos, preciso de mais o que? Adoro a cor da felicidade.

Um comentário:

Eámanë disse...

Nós inventamos a cor da cores, nós inventamos as dores, sendo assim podemos criar a alegria e inventar de ser feliz com ela ;)