quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

Humilde complexidade

Eles se abriram
aliás, abrem sempre.
Caminhei, vaguei, e tentei velejar
sem vitória, naufreguei.
Me perdi nas rofundezas do oceano de mim mesmo,
odeio não ter o mapa do tesouro.
Sorte a minha ter sempre um sol,
Só não me permito dizer,
que aquele amejado lugar ao sol está em minhas mãos.
Mas quer saber? tenho a estrela,
tenho a luz, a escuridão de sua ausência ao mesmo tempo
e isto em partes igualadas e destribuidas a la Lavoisier
apenas isto, já me basta.

Um comentário:

N. disse...

Podes não ter o mapa do tesouro, mas tendo o sol, a estrela, a luz, eles vão te guiar pra longe da escuridão da ausência e pra mais perto da presença daquilo que te falta. E apenas isto não pode te bastar, tente continuar caminhando, vagando, velajando... e no final depois de muitos naufrágios, finalmente virá o triunfo! decorrene de todo o aprendizado com as derrotas :)


...é o que dizem...